• Eterno Inconformado
  • Eterno Inconformado
  • 9 de mar de 2017

    #171 Entre misantropos e a penumbra: vale a pena se isolar?

    Quem nunca quis reservar um tempo só para si a fim de reorganizar as ideias? Deixar algumas coisas de lado e refletir sobre os fatos que nos cercam, atitudes de pessoas próximas, pensamentos e tudo mais? Algo normal, de fato, mas que deve ser feito com cuidado, afinal há uma tênue diferença entre isolamento e introspecção.

    “Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor. Melhor é a mágoa do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração.”
    (Eclesiastes 1:18; 7:3)

    Já falamos sobre inteligência interpessoal aqui no blog, aliás uma boa parte dos textos publicados no Eterno Inconformado foram frutos de períodos de introspecção da minha parte. Durante momentos em que eu quis me afastar um pouco de tudo e de todos, Papai do céu me tornou alguém mais sóbrio, digamos, analítico... porque se outrora fui um bobo a falar coisas sem medir as consequências, chega um tempo em que Ele nos convida a medir (e repensar) o que sai dos nossos lábios e o que mostramos à sociedade como filhos dEle. Parar para observar, analisar e manter um estado de introspecção nos faz olhar o mundo com outros olhos e pensarmos mais sobre a vida e as situações cotidianas, como diz Eclesiastes 7:3.

    misantropia isolamento Dubai

    Vou citar algo, aparentemente, fora do contexto, mas que traz uma lição por trás: o pessoal do Linkin Park (uma banda de rock norte-americana) começou a se popularizar por conta de um estilo característico que eles trouxeram no início da década de 2000. Eles lançaram dois CDs inovadores para a época, misturando letras adolescentes com hip hop e metal, um som muito bom aliado a poesias com dramas vividos por boa parte dos jovens. A situação começou a mudar a partir do terceiro disco da banda, onde eles mudaram a sonoridade das músicas e passaram a experimentar novos estilos musicais. O resultado é que eles foram (e vêm sendo) bastante criticados pelos fãs e pela crítica “especializada”, todavia, os integrantes da banda contam em relatos que eles não ligam para isso. O que vejo de interessante nessa história toda é que com o passar dos anos, eles deixaram de escrever e usar arranjos musicais para adolescentes em crise existencial. Se no primeiro disco, eles tinham cerca de 23 anos, hoje, eles beiram os 40! Nota-se uma evolução, uma mudança de pensamento por conta dos membros da banda; houve a necessidade de amadurecimento e de passarem um espaço de cerca de 4 anos entre um CD e outro, e eles fizeram tudo isso “isolados” em um estúdio, sem exposição à mídia. Isso nos remete ao fato de que poderemos ser criticados por deixarmos de lado as coisas de menino, a fim de crescer na fé e na maturidade como seres humanos, entretanto, nunca podemos perder a essência, o caráter de Cristo em nós.

    O problema ao nos isolarmos é que acabamos por criar barreiras e um mundo particular, como se os outros não existissem (e precisamos, como filhos de Deus, levar Sua luz aos que estão na escuridão), mas, como dito anteriormente, há uma diferença entre isolamento e introspecção: um é negativo, o outro pode ser benéfico quando bem usado. Não dá para se isolar totalmente, porque é no convívio social que nossa identidade é moldada, todavia, ela é, de fato, caracterizada, quando estamos com Deus, e estar com Ele nos torna mais parecidos, mais semelhantes a Seu Filho: Jesus! =] E se preciso for deixar tudo de lado para estar com Ele por mais tempo, faça e aproveite bem este tempo com o nosso doce e bom Pai, só não se isole tanto, porque é mais fácil ser atacado sozinho do que em grupo (os Três Porquinhos sabem bem disso).

    Pense na introspecção como o processo de metamorfose da lagarta para a borboleta: a lagarta precisa ficar sozinha em um lugar chamado casulo por algum tempo. Durante esse período, a lagarta vai se modificando aos poucos, desenvolve asas e, no fim do ciclo de metamorfose (transformação) ela sai como borboleta, algo totalmente diferente da lagarta que iniciou o processo. Nossa metamorfose, nossa transformação só acontece quando estamos com Deus; não basta se isolar. É estando com Ele que somos transformados e nos encontramos verdadeiramente; deixamos de rastejar como lagartas diante do mundo, de nós mesmos e do pecado e Ele nos dá asas para voar em Sua graça e verdadeira liberdade (leia: “A todos que anseiam por liberdade”).

    “No SENHOR confio; como dizeis à minha alma: Fugi para a vossa montanha como pássaro?”
    (Salmos 11:1)

    Tenha sempre em mente que se afastar de tudo e de todos, sem um propósito específico, não resolverá nada. Se você precisa de um tempo para colocar algumas coisas em ordem, use desse tempo com sabedoria e orientação de Deus em oração e meditação bíblica. No Salmo 11:1, Davi se pergunta se vale a pena fugir para as montanhas como um pássaro. Note que “fugir” aqui é sinônimo de isolamento. Ele sabe muito bem que deve confiar no Senhor em todo tempo, pois adiante, no Salmo 121, está escrito: “Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra.” E, para a declaração de confiança em tempos de “isolamento” ficar ainda mais bonita, observe o que diz um trecho do Salmo 139:

    “SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.”
    (Salmos 139:1,7-8)

    Precisa dizer mais alguma coisa? Onde estivermos, Ele estará antes de nós, cuidando de tudo! Lindo também é o verso 11 que diz: “Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim.” Deus é doce, soberano e bom! *^^* E para finalizar o texto, deixo este trecho de um poema da Cecília Meireles (escrito, certamente, em um período de introspecção da autora):

    “Se você sente algo, diga...
    É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
    Se alguém reclama de você, ouça...
    É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?”

    Nem Tudo é Fácil – Cecília Meireles

    Que Papai do céu te abençoe e te guarde!
    Ele é bom, muito bom! E você, por favor, continue subindo! =]
    Mais textos de Edificação:

    Escrito por:Vítor Macedo

    Baiano, nascido em 1995 e fácil de ser caricaturado por ser barbudo e parecer um nerd. Não tem conta no FB e ainda não aprendeu a gostar do Whats. Além de gostar de psicologia e de coisas fora do comum, tem como hobbies escrever, fazer arte e mexer com códigos de programação. Depois de ser achado por Cristo, descobriu o sentido da palavra felicidade. Se encontrá-lo por aí, no mínimo, ouvirá que Deus é bom, muito bom! =]

    • Blogger
    • Disqus

    Seja o primeiro a comentar!

    Deixe teu comentário!

    Conte-nos algo sobre o texto! Será um prazer ouvir você! =]

    Topo